12 abril 2017

Que falta de emoção

A última vez que estive numa situação de overbooking, foi com a Continental Airlines, agora fod***, oops, digo fundida com a United. Mas não nos foi permitido entrar no avião enquanto não houvesse desistências. E além de oferecerem mais uma noite em NYC, com tudo pago, ainda davam crédito em passagens de avião. O valor ia subindo conforme o tempo passava sem ninguém se chegar à frente para ficar em terra. A cada anúncio de que continuávamos a ser mais que as mães, lá se ofereciam mais uns dólares. Estilo leilão, mas ao contrário. Chegou aos $500 ou $600, já não me recordo ao certo. Um desperdício, não é verdade? Bastava deixar entrar todos e depois arrastar lá de dentro uns quantos, pelos cabelos. Isso sim, era radical. E emocionante. E bom para a contenção de custos. A não ser que depois houvesse processos judiciais. Lawsuits. Isso é que era chato. E toda a gente sabe como os americanos se pelam por coisinhas dessas. Que inconvenientes, pá.

10 abril 2017

Brain freeze*

Jovem, não queremos que falte nada ao teu iogurte gelado! Por isso, se tens dúvidas, não hesites! Per... pre... errrr... unta.... isso!


* O fenómeno é real, como se pode comprovar.