07 maio 2015

A Queima chegou à cidade

E se dúvidas houvesse, era só passar num hipermercado e observar a fauna estundantil esvaziar as prateleiras de bebidas como se de um oásis se tratasse. Bebidas e massa. Não percebo a ligação, mas que dá uns carrinhos de compras originais, isso dá. E agora com a ausência de sacos, dá também direito a espectáculos de malabarismo gratuitos.

Mas apesar de toda a confusão e da necessidade de tampões para os ouvidos que me assalta nesta semana, é quando me sinto mais parte desta cidade. E quando mais a sinto minha. Mesmo que os meus dias de estudante já se classifiquem como passado longínquo. Fico assim, feliz, contagiada pela energia que dela emana.

6 comentários:

  1. A massa deve ser para ensoparem a pinga.
    É barata e rende muito, na panela.
    Há idades que sinceramente :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É muito provável, sim senhora.
      Eu até diria que as batatas saem mais baratas, mas com os baixos níveis de sangue no álcool das criaturas, a massa deve ser mais fácil de cozinhar ;)

      Eliminar
  2. Se calhar a queima faz-te lembrar o estado atual do teu cérebro? :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei do que falas... tens provas??
      Até parece que me conheces... :p

      Eliminar
  3. A massa é a comida mais rápida e fácil de fazer! Se reparares com atenção, as prateleiras do atum também levam um bom assalto. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, sim! Atum e salsichas ;)

      Eliminar