21 março 2016

Para os queixinhas

Parem com isso. A sério. Não há alma que vos ature. É chato e ninguém gosta de pessoas assim. Se não acreditam em mim, atentem nas palavras de um psicólogo que além de perceber da poda, é dotado de uma forte veia poética. "Venting anger is... similar to emotional farting in a closed area". Ora lá está. Toda a gente diz que um filho nunca cheira mal ao pai, bilu bilu, agora suportar flatulências alheias já não tem tanta piada, pois não?

Mas se o facto de não fazerem amigos e ainda perderem os que já têm é coisa que não vos preocupa, vejam pelo menos o lado científico do assunto. Ser queixinhas não é apenas mau para a vossa vida social. É mau para a vossa saúde também. E não precisam de ir para o campo da metafísica, das auras, energias e vibrações para perceberem porquê. A bela da ciência explica tudinho.

"Synapses that fire together wire together". Os vossos cérebros contêm uma colecção de sinapses separadas por espaços vazios (uns mais que outros, é certo). Sempre que vos ocorre um pensamento, uma sinapse envia um sinal através desse espaço até chegar a outra, construindo uma ponte entre elas, por onde circula a informação. O engraçado é que, cada vez que esse sinal é despoletado, as sinapses aproximam-se para diminuir a canseira de uma relação à distância. Dessa forma, o cérebro remodela os seus próprios circuitos, facilitando a recorrência daquele pensamento. Com o tempo, essas sinapses queixinhas estão tão juntinhas, que os pensamentos negativos são imediatos, mais rápidos que o Obikwelu, vencendo todos os outros. Hello, dark side.

Saúde mental, nicles. Mas não se fica por aí. Esta brincadeira aumenta os níveis de stress. E consequentemente, de cortisol, a hormona que anda sempre colada a ele. Uma verdadeira groupie, responsável por enfraquecer o sistema imunitário, aumentar a tensão arterial, o colesterol, o risco de doença cardíaca e de sofrer de obesidade e diabetes. Além de interferir com a capacidade de aprendizagem e memória. Concluindo, não ficam só queixinhas. Ficam gordos e burros. Bom, não é?

Pronto, era só isto. Se não vos chega, podem ver mais aqui. Ou aqui. Ou usem o Google, ele gosta.

6 comentários:

  1. Essas pessoas provocam-me mais cansaço do que correr meia maratona. Para além de aturar o negativismo dos outros (já basta o meu, que guardo para mim), simplesmente não quero saber a vida dos outros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Confesso que também não tenho muita paciência. Então se forem daqueles que, além das queixas, ainda insistem em levar o prémio do "sou mais coitadinho do que tu"... é de fugir sem olhar para trás.

      Eliminar
  2. Alguém falou em dark side? :P

    Pessoas negativas comigo, não duram, pois não aguentam estar perto de mim e do meu positivismo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, não aguentam o poder da luz e transformam-se em cinzas? :p

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Verdade, e parece que a tendência é mesmo no sentido de se perpetuar...

      Eliminar